Nossa Capa


Publicidade





A Empresa

Fachada da TribunaTribuna de Ituverava

O jornal Tribuna de Ituverava completou dia 9 de julho de 2014, 65 anos de circulação ininterrupta, em 3088 edições. A data de fundação do jornal não foi uma mera coincidência coma data da Revolução Constitucionalista de 1932.

Foi o espírito revolucionário de seu fundador, Adhemar Cassiano, que se inspirou nos ideais da revolução, para fundar um jornal com o objetivo de defender intransigentemente os interesses de Ituverava e de seu povo.

Em 1930, Adhemar Cassiano começou a trabalhar como tipógrafo e jornalista no então jornal "Folha da Semana", de propriedade de Agostinho dos Santos. Em 1938, foi trabalhar nas oficinas gráficas do jornal "A Cidade de Ituverava", cujo proprietário era o jornalista Humberto França.
Em 1949, já com boa experiência profissional, a convite dos empresários, os irmãos Michel, Jorge e Dib Nunes, que eram proprietários do Cine Rosário e da Rádio Cultura de Ituverava, fundaram a Tribuna de Ituverava.

O primeiro editor do jornal foi o professor João Beber Filho, que hoje reside em São Paulo. Um ano depois da fundação, em 1950, Adhemar Cassiano adquiriu a parte dos irmãos Nunes, e se tornou proprietário da Tipografia Cultura e do jornal Tribuna de Ituverava. Deste o início para manter a empresa sempre foi com muita luta, porém ele sempre contou com a decidida colaboração e apoio de sua esposa e companheira, Guiomar Alves Ferreira Cassiano. Foram dias e noites de muito trabalho para que a empresa pudesse se firmar.

O trabalho gráfico era de forma artesanal, com sistema de tipos móveis, já que na época eram poucos os recursos técnicos, mas que eram superados pela vontade, capacidade e determinação do jornalista. Na época de sua fundação até março de 1995, o jornal funcionava à rua cel. José Nunes da Silva, 199.

A partir desta data, a redação e as oficinas passaram a funcionar na avenida dr,. Soares de Oliveira, 1645. Ao longo dos anos, a Tribuna de Ituverava passou por grandes transformações tanto na redação, quanto no sistema de impressão e formato, mas nunca perdeu sua linha editorial.
O jornalista Adhemar Cassiano faleceu no dia 1º de março de 1996, exatamente quando o jornal completava 48 anos e 2.163 edições. Nessa época, os filhos o jornalista José Luiz Alves Cassiano e a professora Maria Aparecida Alves Cassiano, e a nora Maria Ernestina Martins Alves Cassiano passaram a redigir o jornal.

Aos 65 anos, o jornal é hoje um dos mais antigos do Brasil; e neste período, a Tribuna cresceu, e conta hoje com moderno parque gráfico, sistema de impressão off-set e redação totalmente informatizada, além de colaboradores do mais alto nível.

Colaboradores

A Tribuna ao longo dos anos, sempre contou com grandes colaboradores, verdadeiros amigos. Ainda estão em atividade o professor José Franco Rodrigues, Celso Barbosa Sandoval, Lannoy Dorin, José Eduardo Mirândola, Defim Netto, Marly Wanderley, Maria Teoro Ângelo, Maestro Ronaldo Faleiros, Anísio Batista Pereira, Vera Martins e Hélio Speziano.

Também é preciso destacar o professor João Beber Filho que, por residir em São Paulo, tem pouco tempo disponível para colaborar, mais foi o primeiro redator do jornal a quem rendemos nosso mais profundo agradecimento e respeito.

Entre os colaboradores que já faleceram, destacamos Dr. Antônio Barbosa Lima, Manoel Lázaro Pereira, Moacir França, José Geraldo Evangelista, Lauro Cerqueira César, Mário Barbosa, Natal Mantovani, , Mário Viana de Vasconcelos, Guilherme José de Matos, Miguel Jacob Daur, Cecim Miguel, João Elíseo de Carvalho, Paulo Zing, Maria Inácia Coelho de Abreu, Geraldo Pinto Rodrigues, José Walteneor Mauad, Geraldo Pinto Rodrigues, Hélio Arantes, entre outros

Adhemar Cassiano

O jornalista Adhemar Cassiano nasceu em 4 de fevereiro de 1916, na cidade de Guará, e faleceu em 1º de março de 1996, em Ituverava, filho de José Cassiano e Sebastiana Monteiro Cassiano. Casou-se em 6 de setembro de 1943 com Guiomar Alves Ferreira Cassiano, de cujo consórcio nasceram os filhos Maria Aparecida Alves e José Luiz Alves Cassiano, casado com Maria Ernestina Martins Cassiano, pais de Ana Cristina Martins Cassiano.

Em 1928, juntamente com sua família, transferiu residência para Ituverava. Já em 1930, começou a trabalhar como tipógrafo e jornalista no então jornal "Folha da Semana", de propriedade de Agostinho dos Santos.

Em 1938, foi trabalhar nas oficinas gráficas do jornal "A Cidade de Ituverava", cujo proprietário era o jornalista Humberto França.

Em 1949, precisamente a 9 de julho, já com boa experiência jornalística, fundou a Tribuna de Ituverava, semanário que dirigiu até sua edição número 2.163, em 1º de março de 1996, quando faleceu.

Adhemar Cassiano foi vereador na Câmara Municipal de Ituverava, nas legislaturas de 1952 a 1955 e 1956 a 1959.
Em sua vida no Legislativo, procurou atuar em defesa da comunidade em todas as áreas, como sempre o fez, mas principalmente nas questões relacionadas a Educação e Cultura. Ele foi autor do projeto que criou a Biblioteca Municipal, que hoje leva seu nome.

O jornalista Adhemar Cassiano foi, por longa data, membro da diretoria do Hospital São Francisco, da Santa Casa de Misericórdia de Ituverava e conselheiro da Associação Atlética Ituveravense.

Homenagens

Em 1979, a Associação Paulista de Imprensa prestou significativa homenagem ao jornalista, pelos trinta anos da Tribuna de Ituverava, pela qualidade de seu conteúdo editorial e pela sua excelente paginação e impressão. Recebeu em vida diversas homenagens como jornalista e empresário, entre elas da Polícia Civil do Estado de São Paulo, Associação Atlética Ituveravense, como o Pai do Ano, em 8 de agosto de 1993, da Ordem dos Advogados do Brasil Subseção de Ituverava, do Rotary Club em 21/7/1993. Ele também foi homenageado com o nome de uma rua, no Jardim Santa Cecília. A rua Adhemar Cassiano fica próximo à Igreja São João Batista.